Enxerto ósseo

Enxerto osseo BMP 
Como se sabe, a altura e a espessura óssea do maxilar e/ou da mandíbula são fundamentais para a colocação e sustentação de implantes dentários. Ocorre que muitos pacientes possuem defeitos ósseos, como atrofia ou perda óssea, e precisam se submeter às técnicas que recriem as condições necessárias para receber e dar suporte aos implantes dentários através de enxertos ósseos. Um dos mais avançados materiais utilizados em enxerto ósseo é a BMP.
 
A proteína morfogenética óssea (BMP – Bone Morphogenetic Protein) funciona como um indultor de formação de tecido ósseo. Essa é a única proteína capaz de induzir a transformação de células primitivas em células formadoras de osso, chamadas de osteoblastos secretores.

 

A BMP é uma derivação sintética de uma proteína osteoindutiva naturalmente presente no tecido ósseo humano, e com o avanço dos estudos e pesquisas no campo da engenharia genética, essa proteína pode ser isolada e preparada para ser utilizada de forma segura na odontologia.

 

A técnica consiste na aplicação de pequenas esponjas de colágeno com BMP que são posicionadas junto com o material de enxerto. A partir dessa aplicação, a proteína leva a formação de novo tecido ósseo por indução molecular

 

A partir de seis a nove meses após a aplicação da técnica, o volume ósseo ideal pode ser alcançado e os implantes dentários podem ser colocados com mais tranqüilidade e melhor previsão dos resultados.

 

As principais vantagens desta técnica são:
  • Redução do risco de complicações cirúrgicas, como infecções e hemorragias (que ocasionalmente poderiam ocorrer nos procedimentos cirúrgicos de enxerto ósseo autógenos)
  • Redução do tempo de recuperação pós-operatório, além de diminuir o risco de rejeição do enxerto.
 
Conheça as diferentes técnicas de enxerto ósseo na odontologia clicando aqui.

 

A técnica de enxerto ósseo BMP é um grande avanço na odontologia. No entanto, a escolha da melhor forma para solucionar o problema de defeito ósseo é decidida pelo profissional dentista em conjunto com o paciente, levando em conta alguns critérios, como por exemplo, o grau de perda óssea e hábitos e condições gerais de saúde do paciente.

 

A técnica é recente mas os resultados atuais são promissores. O material é importado e está sujeito a disponibilidade e regulação da ANVISA.

 

Em caso de dúvidas, entre em contato conosco. Ficaremos felizes em atendê-lo.

 

11 3262-4750

WhatsApp11 99598-1866

Fale Conosco [email protected]

Skypeclinica_implart

FacebookImplanteDentarioClinicaImplArt

Twitter  @implart

InstagramClinicaImplart

 

 
Palavras-chave: enxerto osseo,bmp, proteina morfogenetica óssea, bone morphogenetic protein, tecnicas odontologicas, modernas, implantes dentarios, perda ossea, osteoindutiva, odontologia, dentista.

 

enxerto osseo plasma
 
Trata-se uma técnica avançada de enxerto ósseo que oferece ao paciente uma cicatrização mais rápida e tranqüilidade no processo pós-operatório de cirurgias odontológicas, principalmente de implantes dentários.
 
O plasma rico em fibrina (PRF) é um biomaterial derivado do plasma rico em plaquetas e é obtido através de uma centrífuga. O movimento controlado desta centrífuga separa o plasma com fibrina do próprio sangue do paciente.
 
A principal característica do plasma com fibrina é a capacidade cicatrizante acelerada dos tecidos ósseos e tecidos moles. Mas o plasma rico em fibrina também tem capacidade hemostática (controle de hemorragias) e ao mesmo tempo o aumento da intensidade da vascularização (angiogênese) destes tecidos, por isso ajuda na rápida recuperação pós-cirúrgica.
 
Na prática, esse biomaterial com alto percentual de citocinas, plaquetas e leucócitos, é capaz de transformar células-tronco do adulto em células específicas para a formação de ossos (osteogênese) e gengiva, processo fundamental para reparação de tecidos depois de procedimentos cirúrgicos. A grande concentração de leucócitos no plasma também reduz consideravelmente o risco de infecções.
 
Saiba mais sobre enxerto ósseo clicando aqui.
 
Por ser tratar de uma modalidade de enxerto autólogo, que é quando o material para enxerto é retirado do próprio paciente, não existe o risco de rejeição ou infecções. O enxerto com plasma rico em fibrina também nem sempre exige a necessidade de retirada de tecido do próprio paciente para realização do enxerto ósseo, o que reduz os incômodos de se submeter a esse tipo de cirurgia.

 

A ImplArt Odontologia já domina essa técnica pensando em oferecer mais tranqüilidade e comodidade aos seus pacientes.

 

Entre em contato conosco e agende uma consulta. Ficaremos felizes em atendê-lo.

 

11 3262-4750

WhatsApp11 99598-1866

Fale Conosco [email protected]

Skypeclinica_implart

FacebookImplanteDentarioClinicaImplArt

Twitter  @implart

InstagramClinicaImplart

 

 

Palavras-chave: enxerto ósseo, plasma rico em fibrina, prf, cicatrização mais rápida, cirurgias, odontológicas, implantes dentários, biomaterial, tecidos ósseos, enxerto autólogo.

 

 enxerto osseo
 
O enxerto ósseo pode ser indicado como solução para alguns problemas que dificultam a colocação de implantes dentários pela falta de volume ósseo ou outros defeitos. O enxerto pode ser indicado para reconstrução óssea na falta de espessura ou altura suficiente no maxilar do paciente, criando novamente estrutura para colocação do(s) implante(s). A perda de volume ósseo ocorre principalmente pela reabsorção óssea que se inicia assim que o dente e raiz são perdidos.

 

Outra aplicação de enxerto sintético é para cirurgia para levantamento do seio maxilar. O material é usado para preencher a pequena cavidade que fica após o levantamento do seio e tem o objetivo de estimular a regeneração óssea para possibilitar a colocação o implante. Uma das opções para enxertos ósseos são os materiais sintéticos, com características muito próximas do osso humano.
 
Saiba mais sobre enxerto ósseo
 
Quais são os tipos de enxertos ósseos sintéticos existentes?
Enxertos ósseos sintéticos normalmente são produzidos em laboratórios com base em muita pesquisa para assegurar a biocompatibilidade dos materiais no organismo humano e evitar rejeição ou infecção. Os principais materiais que compõe os enxertos sintéticos são cerâmica, polímeros, hidroxiapatita sintética ou outros minerais. A principal função desses enxertos é ajudar na regeneração de tecido ósseo e preservação do volume local. Depois de aplicado, o material sintético é gradualmente absorvido pelo organismo e vai sendo substituído aos poucos por osso vital. Os enxertos ósseos sintéticos normalmente vem em forma de grânulos, o que permite ao dentista versatilidade e maleabilidade no uso.

 

Como funcionam?
No ato da cirurgia, o dentista mistura o enxerto ósseo sintético com um pouco de sangue do próprio paciente. Essa mistura é colocada na área deformada para fazer as devidas correções. O sangue é importante nesse processo para vitalizar a formação óssea no local e é esperado que no período dos próximos 6 meses o osso esteja completamente regenerado, permitindo a partir daí a colocação do(s) implante(s).

 

Existe vantagem do material sintético sobre o material natural?
Pode-se dizer que a principal vantagem do enxerto sintético sobre enxerto natural é que não é necessário fazer mais de uma cirurgia, como acontece nos casos de transplante autógeno (quando é necessário retirar um pedaço de osso de outra parte do corpo do paciente para fazer a enxertia no osso maxilar). No entanto, a escolha do material adequado é feita apenas pelo profissional dentista depois de uma criteriosa avaliação de cada caso. A prevalência é que o procedimento seja feito com osso natural, preferencialmente do próprio paciente.

 

Nossa equipe já realizou milhares de implantes e em muitos casos foram usadas as técnicas de enxerto ósseo sintético para recriar a área do(s) implante(s) ou nas cirurgias de levantamento de seio maxilar. Entre em contato conosco e agende uma consulta. Ficaremos felizes em procurar solucionar o seu caso.

 

11 3262-4750

WhatsApp11 99598-1866

Fale Conosco [email protected]

Skypeclinica_implart

FacebookImplanteDentarioClinicaImplArt

Twitter  @implart

InstagramClinicaImplart

 

 

Palavras-Chave: enxerto ósseo sintético, implantes dentários, reabsorção óssea, maxilar, levantamento de seio maxilar, regeneração óssea, biocompatibilidade, cerâmica, polímeros, hidroxiapatita sintética, autógeno, dentista.

enxerto osseo plasma 
O plasma rico em plaquetas (PRP) é em um composto autógeno presente no sangue humano que possui alta concentração de plaquetas em um volume mínimo de plasma.
 
Na prática, o plasma rico em plaquetas é utilizado em cirurgias odontológicas com a finalidade de acelerar o processo de cicatrização e para regeneração do tecido ósseo nos casos em que é preciso recriar estrutura óssea com enxertos (geralmente necessária para colocação de implantes dentários). Além disso, o plasma rico em plaquetas auxilia na reconstrução de rebordos alveolares, no levantamento de assoalho do seio maxilar e na reconstrução de outros defeitos ósseos.
 
A obtenção do plasma rico em plaquetas e a sua aplicação são relativamente simples. O primeiro passo é a coleta de uma amostra sanguínea do paciente no dia da cirurgia. O tubo contendo o sangue é colocado em uma máquina centrífuga que faz a separação mecânica do conteúdo plasmático. Esse conteúdo fica com alta concentração de plaquetas que são ativadas quimicamente pela adição de trombina bovina e logo começam a liberar os chamados fatores de crescimento que servem para acelerar a cicatrização de feridas e reparar tecidos. O resultado é um biomaterial de aspecto gelatinoso que então pode ser aplicado no local da cirurgia.
 
Saiba mais sobre enxertos ósseos clicando aqui.
 
Por se tratar de um biomaterial autólogo, ou seja, retirado do próprio paciente para ser reaplicado, não existe possibilidade de rejeição imunológica e infecções. Essa técnica pode ser utilizada individualmente ou em conjunto com o enxerto ósseo autógeno (procedimento cirúrgico que retira osso de outra parte do corpo do paciente para reimplante na boca com a finalidade de recuperar estrutura óssea, principalmente para colocação de implantes dentários). O PRP pode ser um grande aliado na regeneração óssea nesses casos.
 
A equipe da ImplArt Odontologia tem domínio desta técnica e está pronta para atendê-lo. Em caso de dúvidas, entre em contato conosco ou agende uma consulta.

 

 

11 3262-4750

WhatsApp11 99598-1866

Fale Conosco [email protected]

Skypeclinica_implart

FacebookImplanteDentarioClinicaImplArt

Twitter  @implart

InstagramClinicaImplart

 

Palavras-chave: enxerto ósseo, plasma rico em plaquetas, PRP, autógeno, plaquetas, cirurgias, odontológicas, levantamento de assoalho do seio maxilar, defeitos ósseos, biomaterial, autologo, implantes dentários, osso.

 enxerto osseo antes e depois

 
A equipe da ImplArt Odontologia possui extensa experiência em técnicas de enxerto ósseo que viabilizam a colocação de implantes em pessoas com pouca espessura ou altura óssea. Muitas pessoas tem medo em pensar na utilização de um enxerto ósseo, porém em alguns casos trata-se de um procedimento muito simples, que inclusive pode ser realizado sob sedação. Saiba em quais casos são utilizados enxerto em bloco ou enxerto em pó. 

 

Quando uma pessoa perde um ou mais dentes, seja por extrações, doença periodontal ou acidentes, com o passar do tempo há uma reabsorção óssea e atrofia local, causando deformação e fazendo com que não haja espessura e/ou altura óssea suficiente para colocação de implantes. Como solução para esses casos, pode ser indicado um enxerto ósseo para reconstruir a estrutura óssea e assim viabilizar a colocação do implante. 

 

 
genox enxerto osseo
Enxerto em pó (particulado)
 
 
Em casos em que a atrofia óssea no local do dente perdido é menor, o problema pode ser solucionado com enxerto ósseo em pó. Os materiais disponíveis para esse fim podem ser:
  • Osso bovino liofilizado em pó
  • Osso triturado do próprio paciente
  • Precursor ósseo (Hidroxiapatita Sintética)
  • Osso humano de banco de tecidos (transplante ósseo)
 
Qual dos materiais para enxerto em pó é melhor? 
Em geral os materiais para enxertos em pó se aplicam aos mesmos casos, como pequenos defeitos ósseos, e sua aplicação depende da preferência do dentista pela facilidade de manipulação e a finalidade do enxerto. Por exemplo, os materiais apresentam diferentes tempos de absorção pelo organismo e em caso de necessidade de preenchimento estético somente, pode-se optar por materiais de lenta reabsorção como o osso bovino. Se for necessária a formação rápida de osso, pode-se optar por osso proveniente do banco de tecidos ou osso do próprio paciente. 

 

Indicações mais comuns dos enxertos em pó
  • Como complementação de volume durante a colocação do implante, ou seja, o paciente já tem osso suficiente para a instalação do implante.
  • Após extração dentária (em alvéolos de exodontia).
  • Na cirurgia de levantamento do seio maxilar (quando não há osso suficiente na parte posterior do maxilar superior). Na cirurgia de levantamento do seio maxilar, o espaço que sobra é preenchido com o material de preferência do dentista para regeneração. Com o passar de alguns meses, esse pó deve se integrar ao osso do paciente e criar novamente a altura suficiente para colocação do implante dentário.
  • Enxerto ósseo estético - outro uso do enxerto em pó é para preenchimento e prevenção de perda de volume nos dentes anteriores, após extração, para evitar a diminuição da espessura da gengiva e consequente mudança da estética após a cicatrização. 
 
Limitações dos enxertos em pó
  • Têm chance de insucesso para enxertos para dentes com doença periodontal.
  • Não possibilitam ganho expressivo em espessura ou altura (para esse fim se usam enxertos em blocos).
  • Aumentam um pouco o volume gengival na região, mas não necessariamente retomam o volume original (de antes da perda do dente). 
 
Os enxertos em pó são seguros?
  • Os enxertos em pó são muito seguros em relação à infecção.
  • Possuem um alto índice de sucesso em pequenos defeitos para implantes.
  • São de aplicação simples.
  • É necessário aguardar entre 6 e 9 meses para a transformação do material em osso vital. 
 

 

enxerto osseo em bloco
Enxerto em bloco
 
 
Em casos em que a atrofia óssea é maior ou quando houve uma perda óssea acentuada por infecção, pode ser necessário aumento de espessura e altura para permitir a colocação do implante. Nesses casos o enxerto deve ser feito com blocos de osso. A origem do enxerto ósseo em bloco pode ser:
  • Osso retirado de outra parte do corpo do próprio paciente (transplante autógeno) - pode ser retirado da parte inferior da boca para casos menores ou da bacia/calota craniana para casos mais extensos.
  • Banco de ossos humanos (transplante alogênico).
  • Osso de origem animal (transplante xenógeno) - osso liofilizado bovino GenOx.
 
A escolha do material adequado é feita depois de uma criteriosa avaliação de cada caso feita pela nossa equipe. Assim que o bloco é fixado no osso do paciente, é necessário aguardar entre 6 e 9 meses para a completa incorporação óssea. Somente depois desse período é realizada a colocação do implante no paciente, que a partir daí deve aguardar mais 3 meses para colocação de prótese definitiva. Em casos mais simples, o enxerto pode ser feito em consultório com anestesia local. Porém em casos mais extensos, a cirurgia é realizada em ambiente hospitalar por equipe multidisciplinar, inclusive com uso de anestesia geral. 

 

Veja as dúvidas frequentes sobre Enxerto Ósseo
  
Indicações mais comuns dos enxertos em bloco
  • Defeitos ósseos em espessura localizados.
  • Defeitos verticais de osso localizados.
  • Reconstrução óssea do maxilar superior completo (para pacientes que usam prótese há muito tempo e apresentam grande atrofia do osso).
 
Limitações dos enxertos em blocos
  • Possuem maior chance de contaminação, quando comparados aos enxertos em pó.
  • Apresentam maior chance de rejeição do que enxertos em pó.
  • O tempo de tratamento é longo, sendo que o resultado final só pode ser verificado após 12 meses.
  • O ganho em altura no osso é limitado. O ganho em espessura é mais fácil de ser obtido.
  • Aumentam o volume gengival na região, mas não necessariamente retomam o volume original (de antes da perda do dente).
 
Todos os procedimentos para enxerto ósseo são realizados com amparo de exames de imagem, como radiografia panorâmica ou até mesmo tomografia computadorizada. Eles auxiliam no diagnóstico para medição do volume ósseo existente e no acompanhamento da regeneração óssea ao longo dos meses após a cirurgia. Os exames podem ser realizados no centro radiológico digital da ImplArt.
 
A ImplArt Odontologia é pioneira em técnicas avançadas com implantes dentários e enxerto ósseo, com milhares de implantes instalados. Possui equipe especializada que utiliza as técnicas mais modernas no assunto. Entre em contato conosco e agende uma avaliação. Ficaremos felizes em atendê-lo. 

 

11 3262-4750

WhatsApp11 99598-1866

Fale Conosco [email protected]

Skypeclinica_implart

FacebookImplanteDentarioClinicaImplArt

Twitter  @implart

InstagramClinicaImplart

 

 

Palavras-chave: enxerto, enxerto ósseo, bloco, pó, implantes, periodontal, dentes, prótese, autógeno, alogênico, xenógeno, liofilizado, genox, bioss, precursor ósseo, hidroxiapatita, levantamento do seio maxilar, equipe especializada.

IMPLANTE DENTAL FB

 

 

 

Estética Dental

Implante Dentário